FacebookPixel
Notícias
O que precisa de saber sobre o mercado imobiliário
Notícias
voltar \ Mercado imobiliário evolui menos de 2% em 2019, o crescimento mais baixo em seis anos

Mercado imobiliário evolui menos de 2% em 2019, o crescimento mais baixo em seis anos

21 jul 2020
Mercado imobiliário evolui menos de 2% em 2019, o crescimento mais baixo em seis anos
O mercado imobiliário cresceu 1,6% em 2019, um valor que compara com um crescimento de 16,6% em 2019 e que, por isso, corresponde à variação mais baixa desde 2013, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), esta sexta-feira, 17 de julho.
O INE observou também um novo máximo no número de transações imobiliárias, registando-se pelo terceiro ano consecutivo um novo máximo de transações, que atingiu 181.478 habitações em 2019. Mas o valor das transações de alojamentos totalizou 25,6 mil milhões de euros em 2019, o que corresponde a um crescimento de 6,3%, um valor menor com os 24,4% verificados, em 2018.


O preço mediano de alojamentos familiares em Portugal, no último ano, cresceu 8,5%, face a 2018, ascendendo aos 1.081 euros/metro quadrado. Neste ponto, o INE refere que “a cidade de Lisboa apresentou o preço mediano de alojamentos familiares mais elevado (3.247 euros metros quadrados), entre as sete cidades com mais de 100 mil habitantes”.


“O valor mediano das rendas dos 72 788 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares em Portugal atingiu 5,32 euros por metro quadrado, aumentando 10,8% face ao período homólogo”, acrescenta.


Os mesmo dados indicam que as obras concluídas e os licenciamentos de edifícios desaceleraram no último ano. Em 2019 foram licenciados 23.608 edifícios e 33.570 fogos em Portugal, correspondendo a acréscimos de 4,1% e de 14,5% – valores que comparam, respetivamente, aumentos de 19,1% e 32,9% em 2018.


O gabinete de estatística nacional estima, ainda, que tenham sido concluídos 14.184 edifícios e 18.181 fogos, em 2019. Desta forma, as obras concluídas registaram crescimentos de 11,6% e de 23,2%, respetivamente – valores abaixo dos aumentos de 13,9% e 38,5%, respetivamente, em 2018.


Fonte: casa.sapo.pt noticias, Jornal económico, 20 de Julho 2020
Veja Também